Dois Ex-Comandantes do 4º Distrito Naval ao serem transferidos para a Reserva da Marinha passaram a residir em Belém

0
179

Fascinados por Belém, o casal amigo vice-almirante (RM1) Edlander (Antonia) Santos sempre felizes, como aparecem na foto com o colunista, vez ou outra estão também bordejando pelo Rio de Janeiro, para visita a outros familiares. Ele, hoje, mesmo na Reserva da Marinha, continua no batente desde quando deixou o Comando do 4º Distrito Naval, atuando com um movimentado Escritório de Consultoria, conhecedor que é de todas as peculiaridades da grande Amazônia, ainda no posto de Capitão-de-Mar e Guerra, foi Comandante da Capitania dos Portos do Estado do Amazonas em Manaus, onde também conta com muitos amigos.
Aliás, anteriormente, alguns anos antes, um outro ex-Comandante do 4º Distrito Naval, depois de deixar a função passou também a residir em Belém, foi o saudoso vice-almirante Eugênio Marques Frazão, que foi, inclusive, presidente da ENASA-Empresa de Navegação da Amazônia S/A. Na sua administração foram incorporados à frota dessa estatal os catamarãs “Pará”, “Amazonas”, “Roraima”, “Rondônia” e “Amapá”, todos construídos no Rio de Janeiro. (Foto: Luiz Celso).

Movimentação de passageiros no setor fluvial diminuiu consideravelmente na rota das Ilhas como Breves

Na foto um dos mais modernos catamarãs da praça de Belém, que anteriormente vinha realizando viagens diárias na rota de Breves, entretanto, em função da crise, o número de passageiros diminuiu consideravelmente nessa rota, obrigando a empresa proprietária, que é a Bom Jesus, de grande tradição e com longos anos de relevantes serviços para a região das Ilhas, a diminuir as suas programações.
O problema também está acontecendo na rota de Macapá, onde, lamentavelmente, está acontecendo rebates de passagens, com pelo menos três empresas prejudicadas, uma providência, inclusive tabelas nos preços de passagens, terá que ser tomada por quem de direito, suspendendo operações de embarcações que não oferecam a exigida segurança, mas estão sempre burlando a fiscalização dos órgãos competentes com saídas de “portinhos” localizados pelo litoral. (Foto: Luiz Celso).

Arcon mobilizou 65 agentes para ampliar fiscalização em portos e rodovias

A Agência de Regulação e Controle dos Serviços Públicos do Pará (Arcon) concluiu o planejamento da Operação Carnaval 2017, que começou, ontem, quinta-feira (23), e terminará na quarta-feira de cinzas, dia 1º de março. A operação mobilizou 65 servidores da Agência em ações de fiscalização nas estradas e portos de Belém e do interior do Estado.
Neste ano, alguns ajustes operacionais foram necessários, como a atenção especial às travessias de balsas nas viagens entre Belém e Cametá, na Região do Baixo Tocantins, via Alça Viária. O período do Carnaval em Cametá é um dos mais movimentados no Pará, aumentando o deslocamento de pessoas principalmente a partir de Belém. A Arcon enviou na semana passada ao município uma equipe para avaliar as necessidades de fiscalização, e já programou ajustes nas travessias.

MARESIAS

Muita gente não sabe, mas o navio “HIADAR”, aquele mesmo que se encontra naufragado no porto de Vila do Conde, foi construído para o transporte de contêineres, adaptado depois de algum tempo para o transporte de bois vivos. Na verdade, sem a estrutura especial.

Nosso amigo Comandante-CLC José Menezes Filho, hoje em importante função administrativa na Transpetro, subsidiária de transportes marítimos da Petrobrás no Rio de Janeiro, consignou também os melhores elogios à organização imprimida pelo CIABA quando da Aula Inaugural.

A chapa da situação foi a vencedora na última eleição no SINDIPORTO. Dizem, não sei, que a mesma teve o apoio da atual diretoria da CDP-Companhia Docas do Pará, e também promessa de cargos em comissão. Aliás, sobre a CDP, já está iniciando um movimento em defesa do porto.

Uma nota que o colunista não gostaria de publicar, mas… é necessária, para deixar os nossos leitores sempre bem informados: “Um estaleiro de grande porte que funciona em nossa capital estaria “agonizando”, sem razões para tal”. Eu vou, mas depois eu volto ao assunto.

Outra notícia também não muito agradável é que diminuiu bastante, nas diversas Faculdades de Engenharia Naval no Brasil, o número de interessados em cursar essa especialidade, já tem inclusive engenheiro naval buscando outras alternativas e fazendo outros cursos.

Um bom número de Praticantes de Práticos, que foram aprovados ainda no último Concurso pela DPC-Diretoria de Portos e Costas, os últimos, por sinal, buscando aprovação depois de pouco mais de um ano navegando pelo rio Amazonas a bordo dos navios mercantes.

Pelo andar da carruagem, tudo indica que querem mesmo acabar de vez com o nosso secular porto, cujo assoreamento está dificultando cada vez mais a atracação direta de navios de grande porte, tanto de longos curso como também de cabotagem. Entidades do setor que abram os olhos.

O Prefeito Zenaldo Coutinho goza de grande conceito junto a Marinha do Brasil, sendo inclusive portador das mais altas comendas da nossa Armada, ou seja, o Mérito Tamandaré e o Mérito Naval, esta última no Grau de Comendador. Quando deputado federal defendeu verbas para o 4º DN.

Muita gente não sabe, mas o Comandante CLC Darlei Pinheiro, Delegado do SINDMAR em Belém, é uma das maiores expressões da Marinha Mercante Brasileira. Ele, inclusive, já representou os marítimos Brasileiros, junto a IMO em Londres na Inglaterra, formado pelo nosso CIABA.

Hidrovias do Brasil, agora integrada na navegação fluvial na Amazônia e também na cabotagem de grandes comboios e dos navios de grande porte graneleiros “Tucunaré” e “Tambaqui”, responsáveis pelo transporte de bauxita de Porto Trombetas para Vila do Conde. Muito bom.

BEIRA DO CAIS

O colunista agradece ao estimado amigo Contra-Almirante (MD) da Reserva da Marinha Dr. José Salgado Freire, que reside em Brasília, por sinal, um paraense, pelos elogios consignados a coluna. Na mensagem ele deseja o mesmo sucesso de sempre, ele que atuou também no HNBE-Hospital Naval de Belém, de onde tem boas recordações. Meu grande abraço.

Dizem que nem sempre o melhor ganha a batalha, isto aconteceu na eleição recente para a nova diretoria do SINDIPORTO, sindicato que reúne na grande maioria os seus associados servidores da CDP-Companhia Docas do Pará. De qualquer maneira, resta aguardar o trabalho da diretoria eleita, que teve apoio da cúpula da nossa estatal.

As chuvas constantes em Belém tem prejudicado seriamente a conclusão das obras do ferry-boat da HENVIL Transportes, cuja entrada em tráfego estava prevista para o próximo mês, mas, com certeza, em função desse problema, não deverá acontecer. Essa embarcação deve transportar 1.000 passageiros. Do seu gênero será a maior do Brasil.

O vice-almirante Alípio Jorge Rodrigues da Silva, vem dando um apoio muito especial a nossa SOAMAR-Belém, sendo, inclusive, uma grande entusiasta para a construção da sede própria da entidade, tanto assim que, graças à sua prestimosa intermediação, já foi concedido o terreno em local privilegiado na área do 4º Distrito Naval.

Diversas personalidades deverão ser homenageadas pelo SINDOPAR-Sindicato dos Operadores Portuários do Estado do Pará, no próximo dia 10 de março, quando do lançamento da 4ª edição do Anuário Portuário, uma publicação que tem conceito nacional e até mesmo internacional, isto em função do seu grande conteúdo, com dados importantes do setor. (AS).

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta

Seu comentário
Seu nome

Solve : *
6 + 6 =