Marinha do Brasil divulga resultados da Operação Muiraquitã

0
163

Ação foi realizada em conjunto com Órgãos de Segurança Pública, Inteligência, Meio-ambiente e Receita Federal para coibir delitos na Região dos Estreitos e nas calhas dos rios Amazonas, Tapajós e Pará

Entre os dias 13 e 23 de março, a Marinha do Brasil, em cooperação com Órgãos dos Governos Estaduais do Pará e Amapá e Agências Federais, realizou a Operação Muiraquitã, tendo como principal objetivo intensificar as ações ostensivas de Patrulha e Inspeção Naval, a repressão aos delitos transfronteiriços e ambientais de toda ordem na Região dos Estreitos e nas calhas dos rios Amazonas, Tapajós e Pará.

Cerca de 120 militares embarcaram nos meios subordinados ao Comando do 4º Distrito Naval, juntamente com agentes da Polícia Federal, da Receita Federal, do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), das Secretarias de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (SEMAS-PA), da Fazenda do Pará (SEFA-PA) e de Segurança Pública e Defesa Social (SEGUP), do Centro Gestor do Sistema de Proteção da Amazônia (CENSIPAM) e da Força Aérea Brasileira.

Dentre as apreensões, as mais significativas foram as de madeiras ilegais: cerca de 2.130m³ serrada e 1.582m³ em toras. Segundo informações da SEMAS-PA, seriam necessários 125 caminhões para transportar toda essa madeira e a multa está estimada acima de um milhão de reais.

Em paralelo às fiscalizações e repressões, foram realizadas Ações Cívico-Sociais, com apoio de médicos do Hospital Naval de Belém, junto às comunidades ribeirinhas da região dos Estreitos, além de palestras sobre segurança da navegação, distribuição de coletes salva-vidas e instalação de coberturas de eixo para as comunidades do entorno dos rios Amazonas, Tapajós e Pará.

Durante a Operação, foram empregadas 10 embarcações, um Navio-Patrulha, um Aviso de Patrulha e algumas viaturas, assim como militares e cachorros do 2º Batalhão de Operações Ribeirinhas e equipes de Inspeção Naval das Capitanias dos Portos da Amazônia Oriental, do Amapá e Fluvial de Santarém.

Os significativos resultados foram alcançados com a colaboração e a assertividade do trabalho realizado pelas equipes da Marinha e dos demais Órgãos participantes, tendo cada um atuado dentro da sua esfera de competência, provendo apoio mútuo e otimizando o emprego dos meios utilizados, sendo ao todo 442 embarcações inspecionadas, 94 notificadas e 41 apreendidas.

Por Portal da Navegação, via Marinha do Brasil

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta

Seu comentário
Seu nome