Secretário de Segurança do Estado goza de grande conceito junto ao setor aquaviário

0
188

As atividades ligadas ao setor aquaviário mantém um estreito relacionamento com o atual Secretário de Estado de Segurança www.buy-trusted-tablets.com Pública, o General da Reserva Jeannot Jansen, que aparece na foto com o presidente do SINDOPAR-Sindicato dos Operadores Portuários do Estado do Pará, advogado empresário Alexandre Carvalho e o empresário e armador Bruno Dias, vice-presidente do SINDARPA-Sindicato das Empresas de Navegação Fluvial do Estado do Pará e diretor do conceituado Grupo GDIAS, do qual faz parte a conhecida e conceituada empresa de navegação Transdourada.
O general Jeannot, por sinal, conhece de perto e muito bem todos os problemas enfrentados pela navegação fluvial nos rios da Amazônia e tudo vem fazendo para acabar com os ataques às embarcações, através da Polícia Fluvial. Por ironia do destino, conforme já informamos anteriormente, o seu genitor foi armador fluvial, tendo a sua empresa sediada em Manaus, isto há longos anos. (Fotos Luis Celso).

Visita de cordialidade do ex-Comandante da Região Norte do Exército Brasileiro

O empresário e armador Relton Osvaldo Pinto, presidente do Grupo Atlântica Matapi, na foto com o General Osvaldo Ferreira, quando ainda Comandante da Região Norte do Exército Brasileiro em Belém e o colunista, espera também prestar uma homenagem ao mesmo, que hoje encontra-se na Reserva e deverá visitar Belém no próximo mês de junho, dependendo da sua agenda esse armador vai homenageá-lo com um jantar de longo curso.
Conforme já informamos anteriormente, o General Ferreira foi o grande responsável pela criação do Colégio Militar, de extraordinária importância para o nosso Estado. Ele também foi o grande incentivador e criador da SOAMEX-Sociedade dos Amigos do Exército, que está funcionando a todo vapor. (Foto: Luis Celso).

Decreto de Regularização Portuária do Brasil reduz as amarras do setor portuário, avalia ATP

Assinado pelo Presidente da República, Michel Temer, e publicado no Diário Oficial da União do dia 11 de maio, o Decreto de Regularização Portuária do Brasil vai destravar as operações portuárias e trazer mais segurança jurídica ao setor.
“O texto do Decreto é bastante positivo para o setor. Estamos satisfeitos com a medida adotada pelo Governo, pois uma expressiva parcela dos pleitos da ATP-Associação de Terminais Portuários Privados, foi contemplada. A modernização do marco regulatório, sem dúvida, tende a eliminar a insegurança jurídica e melhorar o ambiente para novos investimentos”, comemora Murillo Barbosa, diretor-presidente da ATP.
As principais mudanças tratam da simplificação de processos de autorizações e ampliações de terminais de uso privado, entre outros aspectos normativos que dará mais agilidade aos órgãos públicos na tomada de decisões e a iniciativa privada para investir. Outros itens importantes foram acolhidos, tais como: ampliação dos prazos contratuais e a realização de prorrogações antecipadas dos contratos de arrendamento.

MARESIAS

Dentro de mais dois anos o nosso amigo Almirante-de-Esquadra Marcus Vinicius Oliveira da Silva assumirá a Presidência do Tribunal Superior Militar, cota da Marinha.

O engenheiro Carlos Nascimento, vice-presidente da SOAMAR-Belém, bom caráter, humano até demais, goza hoje de muita estima por parte das autoridades navais.

Não será nenhuma surpresa para o colunista se a Receita Federal fizer a doação de lanchas para a Marinha do Brasil, através do Comando do 4º Distrito Naval. Muito bom.

Entidades ligadas ao setor portuário nacional já estão se movimentando para levantar bandeira contra as anunciadas privatizações das companhias docas. Eu volto.

Um “passarinho” que veio de Brasília trouxe-nos a informação que aquela diretoria da CDP-Companhia Docas do Pará, criada na gestão passada, poderá ser preenchida. Restar confirmar.

Como sempre muito gentil o nosso muito estimado amigo engenheiro Carlos Acatauassu agradeceu a nota publicada na coluna, ele que hoje está servindo na SETRAN.

Hoje no Governo estão funcionando três importantes órgãos também ligados ao setor, ou seja, a SETRAN-Secretaria de Transportes, ARCON e CPH-Companhia de Portos e Hidrovias.

Entre Belém e Manaus, estão previstos ainda para este ano três importantes eventos ligados ao setor, inclusive um Seminário que será promovido pela SOBENA em setembro.

O armador Daniel Pereira, diretor da HENVIL Transportes, confirmou ontem que antes do final deste mês o super ferry-boat “São Gabriel” estará fazendo sua viagem inaugural.

Ainda existem por ai embarcações que pertenceram a frota da ENASA, entre elas o navio fluvial de passageiros “Soure”, da BANAV e o catamarã “Rondônia”,
da ENART.

A Governadora Ana Julia, quando no exercício dessa função, por pouco não construiu em nossa capital um Terminal de Turismo Marítimo para receber os grandes navios.

Há alguns anos passados existia uma empresa que durante o inverno fazia a linha Belém/Rio Branco-Acre, de propriedade do saudoso armador e empresário Antônio Assmar.

Era a Empresa de Navegação Acreana, que operava com o navio fluvial misto de cargas e passageiros. Esse navio ainda existe, com outra denominação, hoje da Arapari.

Ainda existe Oficial de Náutica formado pelo CIABA, interessado em migrar para a navegação fluvial na Amazônia, de olho nos super-empurradores que transportam soja.

Elogiável sobre todos os aspectos a união que hoje reina entre os sindicatos e outras entidades ligadas ao setor. Isto é muito bom, porque a união faz a força. Nota 10.

O Grupo Atlântica Matapi hoje goza de grande conceito também em Rondônia, onde está presente, acompanhando o progresso desse estado no transporte dos seus produtos.

BEIRA DO CAIS

Muita gente hoje não sabe que a CPH-Companhia de Portos e Hidrovias, órgão do Governo do Estado do Pará, foi criada para receber a CDP-Companhia Docas do Pará, quando a mesma estava na ponta da linha para ser estadualizada. Na última hora a estatal foi salva pelo então Presidente da República, Inácio Lula da Silva, a pedido dos políticos do PT paraense.

Com a próxima “baixa” do Navio Patrulha “PARATI”, o Grupamento de Patrulha Naval do Norte, vai ficar com nove Unidades, aliás, o suficiente para atender toda a área da sua jurisdição. Essa OM da Marinha, da jurisdição do Comando do 4º Distrito Naval, tem uma grande folha de relevantes serviços prestados, no mar e nos rios, hoje só o Comando do CMG Ricardo Jaques, que é um oficial da melhor qualidade.

O Almirante-de-Esquadra Ministro do Tribunal Superior Militar nosso amigo Marcus Vinicius Oliveira dos Santos, quando de sua recente visita a Belém, recordou com o colunista o episódio, que culminou com a criação de uma nova empresa de Praticagem em Manaus, cujo serviço era feito antes pela EPBAM – Empresa de Praticagem da Bacia Amazônica.

Uma grande autoridade de Brasília ligada ao setor, por sinal, paraense dependendo da sua agenda, deverá se fazer presente como convidado especial da Henvil Transportes para participar da viagem inaugural do super ferry-boat na rota do Marajó através do Camará. Com a entrada dessa embarcação acaba de vez o problema de transporte fluvial para Soure e Salvaterra, inclusive. (AS).

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta

Seu comentário
Seu nome