ENTREVISTA: Han Van Den Berg, Dutcham, câmara comércio Holanda & Brasil.

5
253

UM POUCO DA DUTCHAM, OBJETIVOS E ATIVIDADES.

É a câmara de comércio Holanda & Brasil. Desenvolver e estabelecer negócios bem sucedidos entre Holanda & Brasil. Atuações em logística, agricultura, petróleo e gás, equipamentos e novas tecnologias, construção naval, dragagem e meio ambiente. Já está presente no Brasil desde 1952. Com Sede na cidade São Paulo. Sou representante no Estado do Pará desde o ano passado.

A HOLANDA DESCOBRIU A AMAZÔNIA?

De um modo geral sim. Mas a Holanda, com tamanho menor que Marajó, sempre está em busca de novos parceiros. Várias empresas da Holanda já descobriram o potencial da Amazônia. Na Holanda o Porto de Vila do Conde como porto internacional é pouco conhecido. O que se sabe é que o Porto de Vila do Conde é um dos portos com fretes mais caro do mundo. Na Holanda existe uma forte opinião para deixar a floresta amazônica e as aldeias indígenas intocável. Mas as pessoas não sabem que um bom manejo florestal faz bem para a floresta e gera emprego e renda local. Poucos turistas da Holanda visitam a Amazonia, realmente uma nova fronteira turística. Tem muito coisa puro e nativo aqui com povo mais acolhedor que já vi.

A HOLANDA TEM A MAIOR LOGÍSTICA DO MUNDO, A DUTCHAM, ESTAR DANDO SUPORTE PARA O ARCO NORTE?

Holanda está focado em importação e depois fazer a distribuição na Europa. Aqui no Pará é ao contrário. Arco Norte tem foco para ampliar a exportação via o Porto de Vila do Conde juntando produções no interior do Brasil. Tem projetos como ferro-grão, pedral de Lourenço, asfaltar 100% BR163, pontes, novos terminais, renovação frota naval. Tudo isso vai gerar mais cargas que podem ser exportado via o Norte. Óbvio que entrada até Vila do Conde (só 14 metros profundo) também tem que ser dragada para pode receber navios maiores e trabalhar com competitividade. Nestes projetos mencionados empresas da Holanda junto com a câmara podem contribuir com experiência, serviços, equipamentos, novas tecnologias e investimentos. Por exemplo quando empresa no Brasil importa equipamentos naval não se paga impostos de importação. Isso para estimular o setor Naval no Brasil. Isso gera negócios internacionais.

COMO A DUTCHAM ANALISA A LOGÍSTICA NA AMAZÔNIA?

Precária. Quando fiz estágio na cooperativa Batavo em 1997 já se falava escoar grãos via o norte e asfaltar o BR163. 20 anos depois só tem mais pessoas falando. Amazônia tem muitos rios navegáveis entretanto poucas hidrovias. Rios se tornam obstáculos (falta dragagem, falta de segurança e sinalização, roubos de carga). Cruzei alguns vezes região Amazônica de navio. Várias vezes vi embarcações grandes (cargas ou pessoas) com só uma luz pequenininha sendo que de madrugado de longe e aos lados não dá para ver nada. Reza-se que não terá acidentes na frente.

SEMINÁRIOS BRASIL E HOLANDA SÃO IMPORTANTES?

Já participei vários seminários e eventos no Estado Pará. Foram muitos debates construtivas mas agora é ‘mão na massa’. A câmara trabalha muito com match-making (realizar negócios entre empresas). Quando tem uma empresa na Holanda querendo realizar negócios na Amazônia nos selecionamos cerca 5 empresas Brasileiras com interesse concreto. Apos visitaremos estes empresas facilitando reuniões entre os diretores. O match-making tem que ser bem focado. Não adiante convidar um estaleiro holandês querendo vender navios para transportadores aqui, pois é muito caro e tem bons estaleiros no Brasil. Neste caso melhor oferecer equipamentos e tecnologia para estaleiros no Brasil. Empresas estrangeiras precisam de parceiros certos e confiáveis na Amazônia.

SUAS CONSIDERAÇÕES FINAIS.

Na minha opinião, Governo Federal, Estadual, Municipal, as Federações, Sindicatos, Ibama, bancos e universidades tem que trabalhar mais com os mesmos objetivos. Ou seja União de forças com principal objetivo apoiar empresas e atrair mais investimentos em infraestrutura na Amazônia. Pois empresas e uma boa infraestrutura são os motores da Amazonia. Quero terminar com um ditado de Bernardinho; “Preparação é tudo, sucesso é o detalhe”. No vôlei funciona assim é também na Amazônia com suas riquezas naturais.

COMPARTILHAR

5 Comentários

  1. Exposição realista dos fatos e questões técnicas, nota-se coerência na entrevista. Parabens!

    Realistic exposition of the facts and technical issues, shows consistency in the interview. Congratulations!

  2. He explains very well about the respect of Holland with the Indian Tribes of Brazil.

    Ele explica muito bem sobre o respeito da Holanda com as Tribos Indigenas do Brasil.

  3. Muito boa Entrevista, parabéns ao Sr.Han Van Den Berg – Dutcham, câmara de comércio Holanda & Brasil., Demonstrou estar muito bem informado sobre a logística na nossa região, mais uma vez parabéns.

    Adorei a leitura

Comments are closed.