ATP DISCUTE DESENVOLVIMENTO REGIONAL E APRESENTA PROJETO BARRA NORTE EM EVENTO NO PARÁ

0
24

A migração da fronteira agrícola das regiões Sul e Sudeste para o Norte do País aponta a necessidade de novas rotas logísticas para o escoamento da produção brasileira. Para tratar desse tema e apresentar iniciativas em andamento, o diretor-presidente da Associação de Terminais Portuários Privados (ATP), Murillo Barbosa, participa desde terça-feira (19/6) até hoje do II Congresso e Feira Internacional de Transporte & Logística Sustentável da Amazônia (Trans 2018), em Belém (PA).

A migração da fronteira agrícola das regiões Sul e Sudeste para o Norte do País aponta a necessidade de novas rotas logísticas para o escoamento da produção brasileira. Para tratar desse tema e apresentar iniciativas em andamento, o diretor-presidente da Associação de Terminais Portuários Privados (ATP), Murillo Barbosa, participa desde terça-feira (19/6) até hoje do II Congresso e Feira Internacional de Transporte & Logística Sustentável da Amazônia (Trans 2018), em Belém (PA).

Como moderador do painel que discutiu Desenvolvimento Regional, Navegação Interior, Portos e Hidrovias, Barbosa ressaltou os resultados positivos do setor portuário privado na região Norte e falou sobre a importância do projeto Barra Norte, liderado pela ATP, que visa aumentar a segurança da navegação na cabeceira Norte do Rio Amazonas e contribuir para a eficiência logística de navios graneleiros que poderão ser totalmente carregados a partir do aumento do calado do local.

Neste mesmo painel também foi apresentado o “Case Hidrovias do Brasil: o Arco Norte e a transformação do cenário logístico brasileiro” pelo CEO da empresa, Bruno Serapião. Associada à ATP, a Hidrovias do Brasil é um dos destaques no segmento portuário privado na Região Norte. Seu Terminal Vila do Conde (PA) registrou crescimento de 92% em 2017, resultado cinco vezes maior do que em 2016.

Já os terminais graneleiros Hermasa, Porto Chuelo (Amaggi) e Fronteira Norte (Bunge), também de empresas associadas à ATP, registraram aumento no escoamento de cargas de 32%, 48% e 56%, respectivamente. No Amazonas, o Grupo Chibatão movimentou 63% a mais no período.

Durante sua visita a Belém, o diretor-presidente da ATP concedeu entrevista ao jornal matinal Bom Dia Pará na qual destacou os benefícios do projeto Arco Norte para aumentar a eficiência logística na região. “O Projeto Barra Norte é o caminho para ampliar o transporte de cargas na Região Norte do Brasil”, defendeu Barbosa. Ele também participou de programa na Rádio Liberal, que registra a maior audiência do estado.

* Na foto, o diretor-presidente da ATP, Murillo Barbosa, está acompanhado do colunista Alyrio Sabbá, do Portal Navegação, e do presidente do Sindicato das Empresas de Navegação Fluvial e Lacustre e das Agências de Navegação no Estado do Pará (Sindarpa) e da Trans2018, Eduardo Carvalho.

Joana Wightman
Coordenação de Comunicação ATP
Contatos: (61) 3032-1931/ 3201-0880/ 98483-5503
comunicacao@portosprivados.org.br

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta

Seu comentário
Seu nome

Solve : *
18 ⁄ 9 =