Cidade de Belém-PA recebe Navio Veleiro “Cisne Branco” – Velas Latinoamérica 20

0
39

Navio Veleiro da Marinha do Brasil retorna para o País após 183 dias de missão no exterior

             A cidade de Belém será o primeiro porto nacional ao regressar de um grande evento náutico, chamado Velas Latinoamérica 2018 que reuniu 13 veleiros de países latino-americanos por 15 dias, navegando por pontos desafiadores na América do Sul e Caribe. Em Belém, o Navio permanecerá atracado na Escadinha do Cais do Porto, próximo da saída do estacionamento da Estação das Docas, durante os dias 4 a 7 de outubro. Ele ficará aberto para visitação pública nos dias 4, 6 e 7 das 10h às 20h.  O visitante terá a chance de percorrer os conveses externos do Cisne Branco, guiados pelos tripulantes do navio, que além de fazer explanações sobre as peculiaridades do navio, contarão sobre as histórias de superação e dificuldade que perfizeram o ano de 2018, durante a Comissão Velas Latinoamérica.

Sobre o Navio:

            A Marinha do Brasil incorporou seu novo navio veleiro, uma galera de três mastros, em 04 de fevereiro de 2000. Batizado “Cisne Branco”, teve sua construção baseada nos projetos dos últimos “Clippers” do século XIX. Foi construído em Amsterdã, Holanda, sob a supervisão da Marinha Brasileira. Trata-se do terceiro navio da Marinha do Brasil (MB) a ostentar tão tradicional nome e realizou sua viagem inaugural em 2000, nas comemorações relativas aos 500 anos de descobrimento do Brasil.

A missão do Navio é representar a MB em grandes eventos náuticos, tanto nacionais quanto internacionais, fomentando a mentalidade marítima em nossa sociedade, preservando as tradições navais e contribuindo com a formação marinheira do pessoal da Força Naval. O “Cisne Branco” foi construído baseado na idéia de que tivesse todos os sistemas de tecnologia avançada, realizando, porém, todas as manobras de convés e vela exatamente como ocorriam no século XIX, mantendo assim as mais antigas tradições da marinharia. Ele é também utilizado no treinamento de todo o pessoal em formação na Marinha do Brasil, principalmente os Aspirantes da Escola Naval. Após formados na Escola Naval, os, já então, Guardas-Marinha complementam a sua formação embarcados a bordo do Navio Escola “Brasil”, que teve sua construção baseada nas fragatas da classe Niterói.

            A bordo do “Cisne Branco” as mais diversas atividades relativas à vida no mar são desenvolvidas. Manobras de vela, tarefas nos conveses, navegação e marinharia são somente algumas delas. A constante interação com a natureza ensina aos tripulantes em treinamento a respeitar o mar e também lhes dá a confiança que só os que já o enfrentaram podem ter.         

            Os exercícios de subida na mastreação exercitam a capacidade de vencer desafios e reforçam a auto-estima. Trabalhos nos conveses e nas vergas ensinam o valor do trabalho em equipe e a importância em desenvolver a confiança no companheiro.

Dados do Navio:

Comprimento:  76,0 m  /   Altura:  48 m  /   Deslocamento:  1.038 ton

Comandante: Capitão de Mar e Guerra Adriano Marcelino BATISTA

Tripulação: 67 (12 oficiais)

Área Vélica (máxima):  2.195 m²

Total de velas:32 – Velocidade máxima à vela: 17,5 nós (32 km/h)

Propulsão Auxiliar: 1 Motor Diesel 1001 hp – Velocidade máxima a motor:  11 nós (20 km/h)

Contato:

Assessoria de Comunicação Social do Comando do 4º Distrito Naval

Telefone: (91) 3216-4017/ Celular funcional: (91) 99116-1230

E-mail: ohana@marinha.mil.br

“Marinha do Brasil, protegendo nossas riquezas, cuidando da nossa gente”

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta

Seu comentário
Seu nome

Solve : *
14 ⁄ 7 =