Capitania faz ação preventiva, distribui coletes e orienta tripulantes de pequenas embarcações em Santarém

0
24

Além da orla da cidade, praias do Maracanã e Arariá receberam as ações, que têm objetivo de conscientizar sobre a importância do uso do colete salva vidas.

Segundos podem ser decisivos nos rios da Amazônia. Para evitar que tragédias ocorram, a Capitania Fluvial de Santarém, no oeste do Pará, intensificou as ações preventivas nos rios, doou coletes salva vidas e orientou tripulantes de pequenas embarcações sobre o perigo de navegar sem o equipamento de segurança.

As ações ocorreram no fim de semana em vários pontos, com abordagens nas Praias do Maracanã e Arariá, além da frente da cidade, próxima base fluvial da CFS.

A inspeção naval flagrou principalmente adultos sem o equipamento de segurança, que é de uso individual em emergências e obrigatório a tripulantes de pequenas embarcações, conhecidas na região como “bajaras”, lanchas pequenas e motoaquáticas.

Orientação aos passageiros de pequenas lanchas quanto ao uso permanente de coletes para salvaguarda da vida humana — Foto: Capitania Fluvial de Santarém/Divulgação

O comandante da CFS, capitão de fragata Robson Ferreira, enfatiza que os ribeirinhos da região insistem na “cultura do risco” se colocando em risco pelo não uso de coletes salva vidas. Para evitar acidentes, as fiscalizações nos rios ocorrem diuturnamente.

Projeto nas escolas

Para combater também a cultura do risco, desde 12 de abril de 2018, uma das medidas que Capitania adotou para combater a cultura do risco foi de ir às escolas municipais com o projeto “A segurança da navegação nas escolas”. Nos encontros são repassadas informações às crianças sobre a importância da segurança da navegação e principalmente a importância do uso de coletes, além de palestras de prevenção ao escalpelamento.

Palestra do projeto “Segurança da navegação nas escolas” em Terra Santa — Foto: Capitania Fluvial de Santarém/Divulgação

Para o comandante da CFS, a criança será multiplicadora dessa conscientização, pois cobrará dos pais, irmãos e colegas. “Esperamos um futuro sem ocorrências de acidentes fatais por falta do uso de coletes, ou seja, um investimento para um futuro melhor”, enfatizou Robson Ferreira.

A Marinha do Brasil ressalta a importância da população participar ativamente nesse esforço de fiscalização, informando qualquer situação que possa afetar à segurança da navegação, a salvaguarda da vida humana no mar e vias navegáveis ou que represente risco de poluição ao meio hídrico.

A Capitania Fluvial de Santarém possui uma base de Inspeção durante 24 horas e qualquer informação que afete a segurança da navegação deve ser informada, por meio do telefone 3522-2870. Existe também o telefone 185, para emergências marítima/fluvial.

Por Portal da Navegação, via G1 Santarém — Pará

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta

Seu comentário
Seu nome

Solve : *
14 − 2 =