Domingo (12/05/2019) – Ex-Comandante do 4º Distrito Naval assumiu importante função civil em Brasília

0
1001

Nosso grande amigo Almirante Edervado Teixeira de Abreu Filho, que aparece na foto em traje civil, nem bem deixou o Comando do 4º DN, já assumiu uma nova e importante função civil, é agora o novo Diretor de Gestão da APEX – Agencia Brasileira de Promoção de Exportação e Investimentos, importante órgão do Governo Federal Em Brasília.
O novo presidente desse órgão é também Almirante RM-1 da Marinha, trata-se de Sérgio Ricardo Segóvia Barbosa, que inclusive chegou a ter o seu nome cotado para a presidência da CDP, anteriormente vinha desempenhando as funções de Sub-Chefe de Inteligência Estratégica do Ministério da Defesa.

Executivo Alexandre Araújo conduzido a mais um mandato como Presidente da ASPLAN

Em meio as comemorações dos oito anos de fundação e agora, composta por um Conselho Gestor formado por seleto grupo de empresários e profissionais do segmento logístico paraense, a entidade vai intensificar as ações e os projetos estratégicos em prol do aperfeiçoamento da infraestrutura logística do Estado do Pará tendo na intermodalidade de transporte a melhor alternativa a construção de ambiente de negócios mais funcional e competitivo do Estado do Pará.
Como se sabe, Alexandre Araújo (foto) é portador de uma inteligência privilegiada, conhecedor profundo dos problemas regionais, da também o brilho da sua capacidade como diretor do SINDARPA – Sindicato das Empresas de Navegação Fluvial Lacustre do Estado do Pará.

Na ponta da linha a inauguração da sede própria do SINDARPA

Prestes a completar 70 anos de relevantes serviços em defesa da nossa navegação fluvial, que tem papel importante no desenvolvimento da Amazônia, hoje sob a lúcida direção do PHD armador economista Dr. Eduardo Carvalho, vai finalmente brevemente inaugurar a sua sede própria, trabalho iniciado pelo jovem armador José Rebelo III e concluído pelo seu atual presidente. De parabéns os seus associados.

Entidades do setor em defesa do Findo de Marinha Mercante

As entidades ligadas ao setor estão se mobilizando, inclusive a FENAVEGA – Federação Nacional das Empresas de Navegação Aquaviárias, em defesa do FMM – Fundo de Marinha Mercante, que nada tem a ver com recursos do Governo Federal, mais estaria fazendo parte da “degola”. Isto jamais poderá acontecer caso contrario a nossa Marinha Mercante vai encolher ainda mais. Seria um absurdo.

GRUPO NORTE mantém selo de melhor Operador Portuário do Pará

Com apenas 11 anos de inaugurado, hoje o Grupo NORTE, que funciona no setor portuário de Vila do Conde – Barcarena conquistou o SÊLO de maior Operador PORTUÁRIO do Pará, criando inclusive o melhor estilo de carregar minérios nos navios de longo curso através de Bacia Metálica elogiada até no exterior, porque além de segurança dá proteção total ao meio-ambiente. Nota 10.

MARESIAS

Graças a Travessia Belém/Arapari/Belém, o problema não foi maior, depois do acidente que envolveu a ponte sobre o Rio Moju, de qualquer maneira mesmo com maior demora as viaturas e passageiros estão sendo atendidas e ainda as providencias tomadas pelo nosso Governador.

Confirmada a presença no final do ano em nosso porto do maior navio – livraria do mundo de bandeira alemã, devendo permanecer na capital paraense por cerca de vinte dias. Com certeza vai a grande atração no cais do porto, com muitas visitas inclusive. Muito bom.

O Grupo Santos Brasil, através do TECON/CONVICON de Vila do Conde, apresentou um excelente resultado financeiro neste primeiro trimestre de 2019, movimentando um grande numero de contêineres, agora utilizando inclusive equipamentos de ultima geração alguns importados.

Já tem gente no setor desiludido com a retirada do Pedral do Lourenço e das Pedras de Marabá e que inclusive investiu antecipadamente objetivando a livre navegação o ano todo através do rio Tocantins, mais passados muitos anos, isto até agora não aconteceu. Triste

O jovem PHD – Armador e Empresário Breno Dias, diretor do Grupo GDIAS e das conceituada empresa de navegação TRANSDOURADA, de vez enquanto bordeja pelo XINGU para rever a sua origem aproveitando sempre para uma boa pescaria, principalmente na época das “CARATINGAS” e “PACÚ SERINGA”.

Muita gente não sabe, mais o rio Guamá já ofereceu livre navegação para comboios fluviais (Rebocador com Alvarengas” que transportavam par Belém grandes partidas de PEDRAS, isto nos tempos dos SNAPP, autarquia federal que deu lugar a CDP e a ENASA – Empresa de Navegação da Amazônia S/A.

Uma alta patente da nossa Marinha, que hoje está na RESERVA, exercendo importante função no Planalto, deverá bordejar por Belém no próximo mês de junho, para rever velhos amigos. Com certeza trazendo também novidades ligadas ao setor, especialmente ligadas a área portuária. Depois eu volto.

Com possibilidades de recuperação ainda existe dois daqueles possantes catamarãs que pertenceram a frota da ENASA, que ainda estão em boas condições. Um deles encontra-se em nossa capital e outro em Manaus, ambos foram construídos no Rio de Janeiro e vieram com suas próprias maquinas.

Já circula pela “BEIRA DO CAIS” a informação que ocorrerá mudanças nos Conselhos da CDP, ou seja, tanto no CONSAD como no CONFIS. A renovação será completa. A ordem procede de Brasília, a exceção de apenas um membro, o que foi indicado através de eleição. Restar aguardar para confirmar. (AS).

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta

Seu comentário
Seu nome

Solve : *
23 × 5 =