04/07 (QUINTA-FEIRA) – Atlântica Matapi à serviço do Governo do Estado na travessia do rio Moju com possantes comboios

0
41
Possante Comboio Fluvial da Atlântica Matapi em operação dentro das normas recomendadas pelas Autoridades do setor.

Contratado pelo Governo do Estado conforme anunciamos anteriormente, o Grupo Atlântica Matapi, depois de formalizar as bases de apoio, com rampas, inclusive, deu início às operações de travessia no rio Moju, utilizando possantes comboios fluviais no transporte de viaturas pesadas, obedecendo as normas recomendadas pelo órgão competente da Marinha.

Armador e empresário Relton Osvaldo Pinto, presidente do Grupo Atlântica Matapi é vice da nossa SOAMAR, e portador do Mérito Naval.

O Grupo Atlântica Matapi, vem se destacando cada vez mais no setor, operando nos diversos segmentos, ou seja, fluvial, marítimo e operações portuárias, gozando de extraordinário conceito inclusive junto as Autoridades Navais por tudo de bom que vem realizando, contribuindo para o desenvolvimento do Estado há longos anos. (Foto: Luis Celso).

Ex-Belas do Mar no Quadro (T) da Marinha do Brasil

Hoje, diversas BELAS DO MAR – Oficiais Mercantes formadas pelo CIAGA e pelo CIABA, servem a Marinha do Brasil, depois de aprovadas em Concurso, uma delas da 1ª Turma de Mulheres do CIABA no posto de Capitão – Tenente a cearense Vitória Régia, serve em Brasília. Os cursos do CIABA são mesmo de alto nível, tanto assim que da Turma que este colunista foi PARANINFO, um Oficial de Náutica, também concursado junto a Marinha do Brasil, já galgou o posto de Capitão-de-Mar e Guerra.

Uma visita do Ministro a Vila do Conde seria muito oportuna

Seria muito oportuna uma visita do Ministro da Infraestrutura, Tarcisio Gomes de Freitas, ao porto de Vila do Conde, que é administrado pela CDP – Companhia Docas do Pará, que segundo informação chegada à coluna, está necessitando de uma serie de melhoramentos. Bem que os nossos políticos poderiam, lá de Brasília, encampar o problema, pedindo as providências necessárias.

Informação desagradável corre solta no setor portuário

Está correndo solto no setor portuário que um sério problema surgiu, envolvendo um a ex-diretora da CDP, nada a ver com a atual diretoria, coisas passadas, que vamos em busca de confirmação para voltar ao assunto, resta, portanto, aguardar os acontecimentos. A verdade a cima de tudo.

MARESIAS

O novo Chefe do Estado Maior do 4º Distrito Naval, não é nenhum estranho, trata-se do Capitão-de-Mar e Guerra Robson Neves Fernandes, que anteriormente serviu em Belém como Comandante da Estação Rádio, onde realizou um extraordinário trabalho.

A Travessia no rio Moju, onde ocorreu o acidente envolvendo a ponte, graças às providências do nosso Governador Helder Barbalho, está sendo muito bem servida através de embarcações fluviais, tanto no transporte de cargas pesadas, como de passageiros.

Nos países de primeiro mundo, mesmo com navios dotados de moderníssimos equipamentos náuticos, a presença de PRÁTICOS a bordo para suas manobras e singraduras continua e será para sempre essencial. Repetimos, “PRATICAGEM é coisa séria!”

Muita gente não sabe, mas o primeiro comboio fluvial a transportar carretas padronizadas no sistema rodofluvial, foi da empresa DI GREGÓRIO, que hoje não existe mais. Isto aconteceu quando a Zona Franca de Manaus estava em grande alta.

A Marinha do Brasil através do Comando do 4º Distrito Naval tem prestado grandes serviços sociais ao Estado do Amapá, especialmente através do Navio Auxiliar “PARÁ” com destaque médicos – odontológicos e laboratoriais, entre outros.

A educadíssima Mônica Pettineli, responsável pela Assessoria de Imprensa do tradicional Grupo Wilson Sons, enviando significativa mensagem para o colunista, com seus contatos para qualquer informação sobre as empresas do Grupo.

Como se sabe, o Grupo Wilson Sons, com mais de 170 anos operando no Brasil, está presente nos mais diversos segmentos ligados ao setor marítimo, portuário e da indústria naval. Na Amazônia goza de excelente conceito. Nota 10.

A EMAP – Empresa Maranhense de Portos, que dirige o porto de Itaqui em São Luiz, está cada vez mais aumentando a sua movimentação, o quem não acontecia quando estava vinculado à CODOMAR – Companhia Docas do Maranhão, estatal do Governo Federal.

Esta é do meu amigo Murilo Barbosa – Presidente da Associação dos Terminais Portuários Privados (ATP): “Sem o atual estrangulamento burocrático e logístico os portos privados poderiam duplicar os investimentos”. (AS).

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta

Seu comentário
Seu nome

Solve : *
13 + 12 =