Grupo MATURU se destaca cada vez mais na rota o Xingu no transporte de cargas e passageiros

0
58

Hoje a coluna faz um destaque especial para o Grupo Maturu, que há muitos anos vem se dedicando ao transporte fluvial, transportando cargas e passageiros na rota do Xingu, com escalas até o porto de Vitória do Xingu, onde inclusive dispõe de um Terminal Fluvial próprio, contribuindo há muitos anos pelo desenvolvimento dessa região.
Como se sabe, o Grupo Maturu opera em Belém em Terminal próprio dentro das normas recomendadas pelas autoridades competentes, sendo dirigido pelos armadores – casal José Maria (Gelcira) Rodrigues Tamborim e filhos, com saídas regulares de nossa capital. Ele que é AMIGO DA MARINHA e Diretor do SINDARPA, aparece na foto, com sua esposa e o colunista, quando de evento ligado ao setor em nossa capital. (Foto: Luis Celso).

Belém necessita de mais um Terminal Hidroviário de Passageiros

Neste mês de julho último, deu para observar que bastaria mais um Terminal Hidroviário Público de Passageiros para solucionar o problema que, em época de férias, acontece com a utilização de “PORTINHOS” no litoral, inviabilizando a fiscalização dos órgãos competentes, como a CPAOR e ARCON. O local especial poderia ser no final da Avenida Tamandaré, onde, por sinal, existe um grande terreno abandonado com vazão para o rio.

MEGA LOGÍSTICA continua recebendo elogios

A coluna tem a satisfação de destacar o grande trabalho que vem desenvolvendo a empresa MEGA LOGÍSTICA, focado para importantes Operações Portuárias, com destaque inclusive no sistema Ship (TO) Ship. Graças também a essa empresa esse segmento vem se destacando cada vez mais em Santarém. Seu trabalho tem sido objeto de muitos elogios.

Um Almirante (RM-1) seria o melhor para a presidência da CDP

Os políticos do Pará em Brasília, ligados ao Presidente Jair Bolsonaro, bem que poderiam defender para a presidência da CDP – Companhia Docas do Pará, um Almirante (RM-1) de preferência que já tenha servido no Pará, para alavancar as atividades da estatal que, segundo velhos cedepeanos, atualmente vai de mal a pior, hoje entregue a um cidadão que nada tem a ver com o setor.

MARESIAS

O primeiro Ministro de Pesca, por sinal filho de Chapecó – SC, nos bons tempos do CAMARÃO ROSA, visitou Belém sendo recebido na sede da EMPESCA, pelos amigos da família Teixeira, após a visita um almoço de longo curso do qual o colunista participou. Recordar é viver.

O Grupo EMPESCA era tão poderoso no Brasil, que chegou ser dono de um BANCO, que inclusive teve a sua filial funcionando em nossa capital, sediada na Rua 15 de Novembro, fora outros importantes negócios até uma fábrica de açúcar em Mato Grosso.

Todo mundo sabe, que o turismo só vai deslanchar em Mosqueiro depois da criação de uma linha fluvial diária através de uma embarcação confortável e veloz, com saídas de ida e volta no mesmo dia. Isto não é tão difícil. Eu volto.

Dentro em breve a CNA – Companhia de Navegação da Amazônia, estará incorporando a sua frota uma moderna balsa – petroleira, construída dentro das normas recomendadas pelo órgão competente para operar na Amazônia Ocidental, leva assinatura do ERN.

Um dos navios porta contêineres da empresa ALIANÇA, que opera na cabotagem fazendo a costa brasileira até Manaus com escala em Vila do Conde, tem uma jovem CLC Capitã de longo-curso, no seu Comando, que vem se desincumbindo muito bem, com elogios inclusive dos seus demais colegas.

A FENAVEGA, através dos bons amigos Raimundo Holanda e José Rebelo – III, presidente e vice respectivamente da entidade, irão dar total apoio ao próximo TRANS, que será promovido pelo SINDARPA, evento de muita importância para a nossa região.

A Marinha aqui na região Amazônica tem feito tudo para que sejam evitados acidentes envolvendo escalpelamentos, lamentavelmente, os únicos culpados, mesmo orientados são os proprietários de embarcações de pequeno porte que trafegam sem a proteção do eixo.

Com certeza não vai ser fácil passar em frente o Terminal SOTAVE em Outeiro, mesmo com interessado. O problema vai acontecer tendo em vista a ação que ainda corre pela Justiça, movida pelo empresário que foi o responsável pela construção do mesmo.

Os associados do PORTUS não concordam de maneira alguma com o percentual anunciado para aumentar as mensalidades, que está sendo um absurdo, já que a situação financeira da entidade foi quase a zero por culpa das empresas do próprio Governo. (AS).

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta

Seu comentário
Seu nome

Solve : *
3 + 8 =