Assumiu em cerimonia militar presidida pelo Comandante do 4º DN o Novo Comandante da Estação Radiogoniométrica da Marinha

0
374

Em cerimonia militar presidida pelo vice-almirante Newton de Almeida Costa Neto Comandante do 4º Distrito Naval, tomou posse o novo Comandante da Estação Radiogoniométrica da Marinha em nossa capital, o Capitão-de-Corveta Raphael Cruz Rangel, em substituição ao seu colega de igual patente Guilherme Carvalho que por sinal aparecem na foto, com o vice-almirante Newton de Almeida Costa Neto.
Como se sabe, essa OM da Marinha tem papel de extraordinária importância, no atendimento as Unidades da Marinha especialmente na área de jurisdição do Comando do 4º Distrito Naval, dotada inclusive dos mais modernos equipamentos ligados a radiocomunicação. (Foto: Luis Celso).

RECORDANDO – Almoço de longo curso a bordo do luxuoso “HILARY”

Nos bons tempos a BOOTH LINE empresa de navegação inglesa, mantinha linha regular para Belém, tinha na sua frota um luxuoso navio de passageiros o “HILARY” que sempre conduzia para nossa capital um grande numero de portugueses que vinham fixar residencia em Belém. Numa das suas escalas o colunista participou acompanhado do saudoso amigo jornalista Rômulo Maiorana, a convite do seu Comandante, de um almoço de cinco estrelas, ao lado o cônsul da Inglaterra que também era o Agente da referida empresa em Belém. Ai que saudades…

ALIANÇA oferece o melhor para os seus clientes

A Aliança que também atende com regularidade o porto de Vila do Conde, através dos seus modernos porta-contêineres, oferece aos seus clientes uma serie de bons serviços, inclusive a monitoração da sua carga regular de qualquer local através de computador, tablet ou até mesmo telefone. Muito bom.

Recordamos os Barcos – Motores que faziam a rota Tocantins/Araguaia

Os rios Tocantins/Araguaia, já foram atendidos antes da construção da hidrelétrica de Tucurui, por mais de 100 embarcações fluviais, tipicas da região, os saudosos Barcos – Motores, que cruzaram apoiados por cabos de aço, as Cachoeiras de Itaboca e Capitariquara, com cargas destinadas a cidades do Pará, Maranhão e Goiás, trazendo no retorno sempre castanha. Hoje isto não existe mais, espera-se até agora a retirada do Pedral do Lourenço e outros obstáculos mais para volta da livre navegação. Até quando?

MARESIAS

A ZP-01- Praticagem do Rio Amazonas, está hoje representada por dois PRÁTICOS, no CONAPRA – Conselho Nacional de Praticagem, além do Diretor – Presidente, tem ainda como Diretor o PRÁTICO Marcos de Castro Alves. Isto é muito bom para a região.

Tão logo sejam concluídas as obras necessárias na Base Naval de Val-de-Cães, a Corveta Museu “Solimões” voltará ao seu fundeadouro em frente ao Complexo Turístico Feliz Lusitânia, passando a receber visitação publica sem nenhum problema.

Logo mais, às 09 horas, em cerimonia presidida pelo vice-almirante Newton de Almeida Costa Neto – Comandante do 4º Distrito Naval estará tomando posse o novo Comandante da Base Naval de Val-de-Cães CMG Rodrigo Antônio da Costa Costeira.

O nosso amigo Dr. Luiz Otávio de Oliveira Campos, quando Secretário Nacional de Portos, muito fez pelo sistema portuário brasileiro, inclusive aqui no Pará, ele foi presidente do SINDARPA e da nossa SOAMAR – PA, realizando um grande trabalho.

Muita gente não sabe, mas na Amazônia está localizada a maior Zona de Praticagem do mundo, a ZP-1 que se estende por 1.300 milhas náuticas envolvendo os estados do Pará, Amapá e Amazonas com um efetivo de 190 PRÁTICOS da melhor qualidade.

É triste para uma região, onde os rios são as estradas naturais, se encontrar um bom numero de navios fluviais convencionais encalhados e abandonados na lama, inclusive do próprio Governo, tanto aqui no Pará como no Amapá. Triste.

Muitos turistas estrangeiros, não foram satisfeitos com a precariedade de desembarque dos navios ao largo de Icoaraci, para visitar Belém na verdade não deixa de ser um pouco penoso e demorado. Alguns anos passados o desembarque era feito direto no cais do porto

Um dos super-catamarãs que foi da frota da ENASA, ainda em total condições de recuperação, o “RORAIMA” encontra-se no fundo do Rio Tocantins, foi doado para a Prefeitura de Cametá para servir como amparo ao cais dessa cidade alguns anos pelo Governo.

A ENASA quando em pleno funcionamento, quando estatal do Governo Federal, mantinha dois diques de médio porte que atendiam embarcações de médio porte, sendo a grande maioria vindas do CARIBE. Não sabemos que fim levou os mesmos. (AS).

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta

Seu comentário
Seu nome

Solve : *
3 − 2 =