Um destaque muito especial para um grande paraense que muito tem feito pela grande Amazônia

0
61

Hoje a coluna faz um destaque muito especial para um amigo e conterrâneo lá do baixo Tocantins, outro senão o empresário Oscar Rodrigues, hoje considerado como uma das maiores expressões comerciais do Brasil. Homem simples, mas de um extraordinário dinamismo, que tem sangue MARINHEIRO, já que por muitos anos subiu e desceu o grande rio Amazonas, levando o progresso às mais distantes localidades da região. Esse mega empresário é AMIGO DA MARINHA e muitíssimo estimado nos meios navais.
Por sinal, este colunista teve a grata satisfação de indicar o saudoso fundador do Grupo LÍDER, Jerônimo Rodrigues, para AMIGO DA MARINHA, cuja imposição da referida Comenda foi feita numa animada noite no Clube Naval, com a presença de todos os familiares desse grande amazônida que muita saudade nos deixou. (Foto: Luis Celso).

Nova sede do SINDARPA será brevemente inaugurada

O SINDARPA que está prestes a comemorar 70 anos de fundação, com relevantes serviços prestados ao setor da nossa navegação fluvial, graças ao trabalho irrepreensível de dois dinâmicos presidentes, Eduardo Carvalho Filho e José Rebelo III, aliados aos demais diretores da entidade. Ainda neste semestre de 2020, festivamente, estará inaugurando a sua sede própria em novo Edifício e em local nobre de nossa capital. Na ocasião estará tomando posse a nova diretoria, tendo como presidente o jovem armador Breno Dias.

MANOBRASSO com cinco possantes cábreas para operações marítimas

A MANOBRASSO é hoje no Brasil, sem dúvida alguma, a melhor empresa para operações marítimas, com uma frota especial de equipamentos especializados para realizar importantes operações, inclusive reflutuação de embarcações operando com cinco cábreas denominadas “Piauí”, “Pará”, “Rondônia”, “Castelo” e “Rio Branco”, está última adquirida da CDP em parceria com o Grupo Reicon. Não tem, portanto, porque o “HAIDAR” continuar no fundo em Vila do Conde.

Lamentável situação do Terminal Petroquímico de Miramar

É lamentável em todos os aspectos a situação do Terminal Petroquímico de MIRAMAR, nenhuma providencia é tomada pela Diretoria da CDP, para sanar os problemas para os seus usuários a estatal nunca passou por um abandono como agora. Triste. Aliás, ali apenas uma Turma de Amarradores está atendendo os navios petroleiros, tornando-se impossível duas manobras ao mesmo tempo. Um absurdo! Até quando?

                                       MARESIAS

Nosso bom amigo Comandante Marcelo Baptista Santos, depois de um grande trabalho a frente da nossa Universidade do Mar, o todo poderoso CIABA, já está arrumando as malas para brevemente deixar a capital paraense, com a consciência tranquila do dever cumprido.

Nosso grande amigo armador e empresário Dr. Eduardo Carvalho, uma das cabeças mais iluminadas do setor, bem realizado nos segmentos em que atua desde os 14 anos de idade, só não exerceu uma importante função pública porque não quis.

Bela mensagem de Natal e Ano Novo foi enviada para o colunista e família pelo grande “LOBO DO MAR”, Comandante CLC Ricardo Monteiro, do Quadro Efetivo da TRANSPETRO, por sinal paraense e gente da melhor qualidade. Thanks.

A coluna, através do Portal da Navegação, bordeja também nos dias da sua publicação pela IMO na Inglaterra, onde o Brasil tem uma movimentada representação. Aliás, isto já vem acontecendo há bastante tempo, que o diga o CLC Comte. Darlei.

Muita gente não sabe, mas os PRÁTICOS da ZP-1 (Rio Amazonas) já conduziram navios de turismo marítimos de bandeiras estrangeiras, com perto de 300 metros de comprimento, sem nenhum problema. São profissionais do mais alto nível.

Com a entrega de mais alguns Armazéns no Cais do Porto, para o governo do estado do Pará, o nosso centenário cais do porto, vai ficar de vez “a ver navios”. Mas… em compensação, com certeza absoluta, o turismo vai deslanchar. Será?

Tem cedepeano com perfil de fazer inveja, inclusive com três cursos superiores, mas nem por isto está sendo bem aproveitado. É isto mesmo, nem sempre os melhores tem vez. A política sempre fala mais alto.

Muita gente não sabe, mas a CNA – Companhia de Navegação da Amazônia, levando a experiência da nossa região operou por alguns anos na Hidrovia Tietê/Paraná no transporte de etanol, suspendendo suas atividades ali por causa do assoreamento.

Se a CDP tivesse atendido as exigências da TRANSPETRO, até hoje os seus navios estariam operando no Terminal SOTAVE no sistema Shipp (TO) Shipp, na descarga de derivados de petróleo e, com certeza, não estaria o mesmo ocioso. (AS).

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta

Seu comentário
Seu nome

Solve : *
1 + 20 =