Destaque especial da coluna para quem muito colaborou quando servindo a Marinha em nossa capital

0
44

Hoje a coluna faz um destaque muito especial, sem favor nenhum, desta vez para a Tenente Adriane Santiago, que serviu a Marinha do Brasil temporariamente, exercendo com absoluto destaque a Assessoria de Comunicação Social do Comando do 4º Distrito Naval. Muito estimada no setor pela sua fina educação, hoje na área civil, mesmo residindo em Belo Horizonte, graças a internet, continua prestando a sua colaboração a nossa SOAMAR-Belém e também a Praticagem da Barra do Pará, ela que aparece na foto com o colunista quando da inauguração do Esquadrão de Helicópteros do Comando do 4º Distrito Naval em Belém. Ela deixou, inclusive, uma legião de amigos, incluindo este colunista, que sempre recebeu da mesma uma atenção muito especial. Com satisfação enviamos um beijo e uma rosa. (Foto: Luiz Celso).

Uma mulher no Comando da Transpetro-subsidiária marítima da Petrobras

Hoje a Transpetro, empresa subsidiária de transportes marítimos da Petrobras, tem no seu Comando uma mulher, que recentemente assumiu a função, com um perfil muito especial voltado para o setor, tendo antes passado por outros importantes grupos, como VALE, ALIANÇA e outros mais, com experiência para levar essa empresa no rumo certo sem problemas. Hoje a Transpetro é detentora da maior frota mercante brasileira, operando tanto na cabotagem como no longo curso.

Navios de turismo na rota de Fortaleza

Mesmo apresentando um bom movimento de navios de turismo, o Terminal de Turismo Marítimo de Fortaleza-CE continua fazendo parte da lista dos que serão privatizados, de acordo com o Ministério da Infraestrutura. Da presente temporada estavam previstos cerca de 10 navios de Cruzeiro mas, isto pode não ocorrer tendo em vista o problema do coronavírus que também atingiu seriamente a capital cearense.

Agências Fluviais da Capitania dos Portos cogitados

Há cerca de 3 anos passados a Marinha do Brasil, através do Comando do 4º Distrito Naval, cogitou a criação de três Agências Fluviais, sendo uma em Marabá, no Rio Tocantins, uma em Itaituba, no Rio Tapajós e, outra, em Breves, nas ilhas. Todas teriam os terrenos doados pelas Prefeituras, mas, infelizmente, por falta de recursos isto não aconteceu. Em Marabá, por sinal, há alguns anos passados funcionou uma Agência mas encerrou suas atividades. A mais nova Agência, por absoluta necessidade, foi criado na cidade do Oiapoque, na fronteira com a Guiana Francesa.

MARESIAS

É bem possível que no decorrer ainda desta semana tenhamos novidades no setor portuário do Estado do Pará. Tem “peixe grande na linha”. Anotem, por favor.

Por um problema de digitação, a nota sobre a nova titular do HNBe saiu “truncada”. Onde está escrito “sumiu” leia-se “assumiu”. Nossas desculpas.

Até hoje, em toda a história da navegação fluvial da Amazônia, nenhuma mulher desempenhou as funções de Comandante de um navio-fluvial, num universo de centenas de embarcações.

Na Hidrovia Tietê-Paraná, uma Bióloga, com Carta de Mestre Fluvial comandou uma embarcação luxuosa de turismo, isso por muitos anos, que movimentava grande número de turistas.

Por falar em turismo fluvial, um conhecido empresário de Belém já tem um projeto para colocar em prática, tão logo seja possível, uma linha direta Belém Marabá Belém – Turismo.

O almoço comemorativo aos 20 anos de formatura pelo CIABA das “Belas do Mar” – Primeira Turma de Mulheres – deverá acontecer no mês de junho próximo, em data a ser confirmada.

Muita gente não sabe, mas nos países de primeiro mundo, os PRÁTICOS são conhecidos como ANJOS DO PATRIMÔNIO PÚBLICO E PRIVADO. Aqui no Brasil também. Verdadeiros heróis.

A demora injustificável na derrocagem do Pedral do Lourenço, que vem se arrastando por muitos anos, tem um culpado: o DNIT, prejudicando seriamente o desenvolvimento da nossa região.

Elogiável sobre todos os aspectos o trabalho do deputado Italo Mácola em defesa da Hidrovia do Tocantins. Lamentavelmente, até agora, a derrocagem do Pedral do Lourenço não aconteceu.

Um trabalho dinâmico de Clythio Buggenhout a frente da Diretoria de Relações Governamentais vem destacando cada vez mais o Grupo CARGILL, inclusive na Amazônia,

Grupos internacionais hoje na Amazônia também estão de olho no próximo leilão das áreas portuárias que pertencem a CDP-Companhia Docas do Pará. Nada contra…

Se ainda não aconteceu, mas está próximo a acontecer mudanças na CDP-Companhia Docas do Pará, isso corria solto na semana que passou no setor portuário de Belém.

Incontestável. A Praticagem da Barra teve papel importantíssimo para o aumento de calado no Canal do Quiriri, que proporcionou a entrada de maiores navios até o porto de Vila do Conde. (AS).

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta

Seu comentário
Seu nome

Solve : *
38 ⁄ 19 =