Movimentação de cargas nos portos do Amapá tem alta de 33% entre janeiro e abril

0
10
Porto de Santana movimenta 93% das cargas do estado — Foto: Companhia Docas de Santana/Divulgação

Mesmo com queda em fevereiro e abril, 1º quadrimestre de 2020 têm resultado positivo em relação a 2019. Porto de Santana concentra 93% do mercado no estado.

John Pacheco

O transporte de cargas nos portos do Amapá, em especial o de Santana, que concentra mais de 93% da movimentação no estado, apresentou oscilação nos 4 primeiros meses de 2020, mas com alta de 33% na soma total do período em relação ao 1º quadrimestre do ano passado. O total embarcado e desembarcado foi de 526.133 toneladas.

Os números da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) mostram que em janeiro e março houve alta na movimentação em 2019 (55,18% e 104,96%, respectivamente) enquanto fevereiro e abril tiveram queda em relação aos mesmos meses do ano passado (-11,17% e -52,46%, respectivamente).

Dados mensais (a comparação é sempre com o mesmo mês do ano anterior)

Janeiro: +55,18% (132.132 toneladas)
Fevereiro: -11,17% (94.610 toneladas)
Março: +104,96% (265.146 toneladas)
Abril: -52,46% (34.245 toneladas)

A Companhia Docas de Santana (CDSA), que gerencia o maior porto do estado, justifica a oscilação em função da pandemia do novo coronavírus, onde o pico das infecções atingiu os países em diferentes períodos no começo de 2020.

“Em janeiro começou a divulgação da pandemia no mundo e as atividades deram uma parada. Em fevereiro, o Brasil ainda não estava com índices significativos, março melhorou bastante e em abril teve queda”, argumentou Glauco Cei, presidente da CDSA.

Glauco Cei, presidente da Companhia Docas de Santana — Foto: Rede Amazônica/Reprodução

Apesar de dois meses de queda, a expectativa para o ano todo é de alta no transporte de cargas, principalmente soja, farelo de soja e cavaco, responsáveis por mais da metade do carregado pelos navios que ancoram no estado através do Rio Amazonas.

“Tivemos uma boa expectativa de exportação já que o Porto de Santana trabalha apenas com commodities [produtos usados como matéria-prima] com o dólar em baixa isso facilita muito a exportação”, completa Cei.

Para 2020, além na alta da movimentação de cargas, a CDSA prevê mais navios no porto do que no ano passado, com expectativa de 45 a 46 embarcações de grande porte. Em 2019 foram 41 e em 2018 o total de navios foi 40.

Entre os fatores para a expectativa de mais viagens está a pavimentação da BR-163, que liga o Centro-Oeste do pais ao Porto de Mirituba, em Itaituba no Pará. A rota é estratégica no escoamento da produção agrícola através do Rio Amazonas.

Por Portal da Navegação, via G1 AP — Macapá

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta

Seu comentário
Seu nome

Solve : *
17 − 14 =