Eleição para nova Diretoria da Soamar-Belém pelo que se observa só deve acontecer após a pandemia

0
30

Pelo que vimos observando a eleição para nova Diretoria da SOAMAR-Belém, deverá acontecer somente no final da pandemia, quando todos os soamarinos poderão ficar reunidos sem problemas. Em função disso a empresária dra. Sônia Guedes segue levando em frente a referida entidade, que do seu gênero tornou-se uma das mais atuantes no Brasil.
Por sinal, em reconhecimento ao seu extraordinário trabalho, a dra. Sônia Guedes foi promovida a Oficial na Ordem do Mérito Naval, na ocasião em que também receberam a Medalha do Mérito Naval no Grau de Cavaleiro os soamarinos Daniel Pereira (representado pelo seu filho) e o veterano Prático da Barra Miguel de Jesus Salgado, com imposição feita pelo Comandante do 4º Distrito Naval, vice-almirante Valter Citavicius Filho. Ato simples, como vem acontecendo no momento em função do Covid-19. Oportunamente daremos melhores detalhes sobre o assunto. Na foto a empresária dra. Sônia Guedes e o colunista. (Foto: Luiz Celso).

Miramar necessitando de urgente dragagem por parte da CDP

Os Práticos da Barra já há bastante tempo estão enfrentando uma certa dificuldade para realização de manobras para atracação e desatracação dos navios-petroleiros, mesmo com carga reduzida, para descarregar no Terminal Petroquímico de Miramar, da CDP-Companhia Docas do Pará, em função do grande assoreamento que envolve as áreas próximas do mesmo.
Dessa maneira, se faz necessária uma urgente dragagem. Se não fosse o elevado adestramento desses profissionais Práticos, os navios-petroleiros não estariam mais operando no referido Terminal. Do contrário o pior pode acontecer.

Grande conhecedor das regiões do Tocantins/Araguaia

O armador e empresário Eduardo Carvalho, presidente do Grupo Paes Carvalho, conhecedor profundo da região Tocantins/Araguaia, foi o único que conseguiu cruzar o Rio Tocantins através de comboios fluviais, enfrentando uma série de obstáculos, trazendo produtos para exportação através do porto de Vila do Conde. Ficou a experiência em poucas viagens, aguardando até agora o início das operações da Hidrovia do Tocantins, que até hoje empacou, por causa do badalado Pedral do Lourenço, constando, inclusive, que entrou no circuito gente importante trabalhando contra o funcionamento da referida Hidrovia. Voltaremos ao assunto com mais precisão.

Desligamento Voluntário já autorizado no sul e sudeste

De acordo com o Ministério da Infraestrutura, já está devidamente liberado o Programa de Incentivo ao Desligamento Voluntário (PIDV), isto no setor portuário, envolvendo as Companhias Docas, objetivando alcançar um maior equilíbrio econômico financeiro.
Os incentivos para o desligamento de funcionários atinge o máximo de até R$ 400 mil reais. Por enquanto o assunto ainda envolve o sul e sudeste. Na CDP-Companhia Docas do Pará, pelo menos até agora, não aconteceu, mas, com certeza esta estatal não ficará de fora. Resta, portanto, aguardar os acontecimentos.

MARESIAS

A Diretoria da CDRJ-Companhia Docas do Rio de Janeiro, prefere ser privatizada. Estadualização nem pensar. Político influente se movimenta para que isto aconteça.

Vem a caminho uma nova empresa de navegação especializado no transporte de passageiros. Dois catamarãs estão em negociação. No circuito tem gente conhecida.

O nosso bom amigo Bené Pantoja, do Grupo CAMILA, tem tudo para receber uma especial honraria, por tudo que ele vem fazendo no setor aquaviário. Ele merece.

O Grupo Passarão, que opera em diversos segmentos ligados ao setor, já tem autorização para instalar em Belém um TUP-Terminal de Uso Próprio, em terreno no litoral.

O empresário e armador Relton Osvaldo Pinto vem dando total apoio a nossa querida CLC Hildelene Lobato. Ela vai tentar uma vaga na Câmara Municipal de Belém nas próximas eleições.

Pelo que se observa Tudo indica que uma velha amizade vai ficar arranhada envolvendo uma entidade sindical. Bombeiros em ação para evitar o mal entendido.

Na área fluvial há alguns anos passados funcionavam os sindicatos de Escreventes, Comissários e Radiotelegrafista, todos eles filiados a Federação.

Pelo que se observa, o setor aquaviário deverá concorrer com três candidatos à Câmara Municipal na próxima eleição, com grandes possibilidades de se elegerem.

Duas Oficiais de Náutica, uma paraense e outra cearense, desembarcadas no Rio de Janeiro, estão pensando em migrar para o setor fluvial objetivando os grandes comboios.

Para o colunista não será nenhuma surpresa se acontecer mais uma mudança na CDP-Companhia Docas do Pará. O Governo do Estado e a Estatal estão afinados.

O catamarã “Amapá”, no momento encontra-se encalhado num porto nas proximidades de Icoaraci, em boas condições, podendo voltar ao tráfego depois dos reparos necessários.

Estão faltando poucos meses para o término do mandato do Prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, e o Terminal Fluvial anunciado para funcionar na Condor continua só na promessa… (AS).

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta

Seu comentário
Seu nome

Solve : *
22 + 2 =