Vem aumentando cada vez mais as grandes operações no sistema Ship-To-Ship em nosso estado

0
29

Aumenta cada vez mais aqui no Estado do Pará as operações marítimas/portuárias no sistema Ship-To-Ship. Na foto, mais uma operação comandada pelo Grupo Matapi, que vem se destacando nessa modalidade, com isso aumentando inclusive o seu raio de ação para outros estados.
A foto marcou mais uma grande operação onde funciona o Terminal SOTAVE, na Ilha do Outeiro, que oferece calado para navios de até 70 mil toneladas. (Foto: Relton Pinto).

O esportista Comandante/Prático e empresário Luiz Omar Pinheiro, que é um verdadeiro gentleman, quando presidente do Paysandu, conseguiu que dois Comandantes do 4º Distrito Naval se tornassem admiradores do seu Clube, recebendo os mesmos por diversas vezes na sede do clube bicolor. O primeiro foi o nosso amigo Almirante Rodrigo Otávio e, o segundo, o Almirante Edlander Santos, com quem aparece na foto. (Foto: Luiz Celso).

——————————

Terminal Hidroviário “Luiz Rebelo Neto” vem aumentando a sua movimentação

Vem aumentando consideravelmente o movimento de passageiros que embarcam e desembarcam no Terminal Hidroviário “Luiz Rebelo Neto”, muito bem administrado pela CPH-Companhia de Portos e Hidrovias, órgão do Governo do Estado, que, por sinal, recentemente passou por uma completa repaginação, com a introdução de uma série de melhoramentos, oferecendo maior conforto para seus usuários.
Muito bem administrado, com estrutura suficiente para também administrar a CDP-Companhia Docas do Pará, isso se ocorrer a sua estadualização, conforme vem sendo comentado nos últimos dias, mas sem procedência oficial, entretanto, pode acontecer porque as Companhias Docas, estadualizadas ou privatizadas, deixarão mais cedo ou mais tarde de pertencer ao Governo Federal. Essa será a nova política.

Situação agora é mais calma no setor portuário do Pará

Tudo indica que a CDP-Companhia Docas do Pará vem procurando solucionar os problemas que envolvem o descontentamento dos servidores da empresa, através das lideranças sindicais, especialmente da Guarda Portuária que, segundo consta, é o setor mais prejudicado financeiramente nesta estatal portuária.
Com os encontros mantidos, a situação acalmou, esperando-se que tudo no final chegue a bom termo, mesmo porque o momento não é nada oportuno para o que está acontecendo. Nada melhor que um bom entendimento entre a diretoria da empresa e os dois sindicatos que congregam os servidores da mesma.

SINDICATOS que se destacam no setor em nosso estado

Cada vez mais se destacam os Sindicatos ligados ao setor portuário, mesmo sem o Imposto Sindical, cada um defendendo da melhor maneira possível a sua categoria. Podemos destacar o SINDAMPA, que tem Jurisdição também nos Estados do Amapá e Amazonas, o SINDOPAR, que representa os Operadores Portuários e o SINDARPA – Sindicato das Empresas de Navegação Fluvial e Lacustre e das Agências de Navegação no Estado do Pará. Todos eles juntos formam uma grande força.
De todos eles o mais antigo é o SINDARPA, que está prestes a completar 70 anos de atividades, hoje, por sinal, dirigido por um jovem armador muito dinâmico, o PHD Breno Dias, que exerce também as funções de Diretor da conceituada empresa de Navegação Transdourada, bem como do conceituado Grupo GDias.

MARESIAS

O trabalho do atual Comandante da Capitania dos Portos da Amazônia Oriental – CPAOR, Capitão-de-Mar-e-Guerra Manuel Pinho, continua sendo muito elogiado, por tudo de bom que vem realizando a frente dessa movimentada OM da Marinha.

A dra. Sônia Guedes, ainda na presidência da nossa SOAMAR-Belém, em cordial contato em linha direta com o colunista, graças a Deus com muita força e vigor, confirmou que irá dar total apoio ao armador Relton Osvaldo Pinto, futuro Presidente da SOAMAR.

Com certeza absoluta vamos ter novidades nos serviços de travessias, nada além do melhor, partindo de uma grande empresa, que solucionou o problema de transporte fluvial na rota do Marajó. Questão de mais um “tempinho”. Anotem.

Iniciativas elogiáveis vem tendo o nosso muito estimado amigo armador Breno Dias à frente do SINDARPA – Sindicato das Empresas de Navegação Fluvial e Lacustre e das Agências de Navegação no Estado do Pará . Anotem, porque vem coisa boa a caminho…

O nosso grande amigo Comandante-CLC Ricardo Monteiro, do Quadro da TRANSPETRO, considerado como uma das maiores expressões da Marinha Mercante Brasileira, marcou 2019 com recebimento de importantes honrarias, inclusive da Marinha do Brasil.

A criação da Polícia Hidroviária Federal, que seria muito bem-vinda também para a Amazônia, ainda poderá se tornar realidade, segundo informação de crédito chegada a coluna. Mas isso só poderá acontecer no próximo ano. Resta aguardar.

Tem gente no setor até apostando que no próximo leilão anunciado pelo Ministério da Infraestrutura, o Terminal SOTAVE, localizado em Outeiro e que pertence à CDP-Companhia Docas do Pará, será passado em frente. Existe interessados no mesmo.

Uma empresa de navegação, que sem alardes vem crescendo na Amazônia Oriental, trata-se da Camila, que atende inclusive o serviço de travessias, gozando de grande conceito pela regularidade dos seus horários, muito elogiada, inclusive, em Santarém.

Tanto na Amazônia Oriental como na Amazônia Ocidental, ainda existem navios fluviais convencionais de carga e passageiros operando, a maioria deles construídos no exterior. Hoje, todos eles reformados, pouco a pouco vão sendo substituídos pelos ferry-boat e catamarãs. (AS).

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta

Seu comentário
Seu nome

Solve : *
13 + 3 =