Diretor da APEX com amigos de Belém quando da sua última viagem a capital paraense para importante missão

0
51

Neste primeiro semestre de 2021, estará voltando a Belém em viagem de inspeção à Unidade da APEX, outro senão o nosso grande amigo Almirante (RM-1) Edervaldo Teixeira de Abreu Neto, Diretor desta importante entidade sediada na capital Federal, que tem papel importantíssimo no desenvolvimento do País.
Na foto, ele aparece quando da sua última visita a Belém, com os amigos Apoliano Nascimento, Miguel de Jesus Salgado, Pastor Sozinho e Marcelo Salgado.
Como se sabe, o Almirante Edervaldo foi Comandante do 4º Distrito Naval, onde realizou um extraordinário trabalho em toda a Jurisdição deste Distrito Naval, ou seja, os estados do Pará, Amapá, Maranhão e Piauí. (Foto: Luiz Celso).

Recordando a exportação da nossa Piramutaba

Muita gente não sabe, mas nos tempos da exportação constante do filé da nossa preciosa “PIRAMUTABA”, que agora ostenta uma nova denominação, as cabeças da espécie eram enviadas para Fortaleza-CE, para servirem de iscas para captura de Lagostas em alto-mar.
Hoje isso não está mais acontecendo, já que grandes empresas voltadas para a captura, tanto da própria Piramutaba, como do Camarão Rosa, encerraram suas atividades em Belém. Felizmente o SINPESCA continua firme, graças ao grande trabalho do empresário Apoliano Nascimento, com novas filiadas, inclusive.

SINDARPA “SETENTĀO” uma grande força em defesa da navegação fluvial

O SINDARPA – Sindicato das Empresas de Navegação Fluvial Lacustre e das Agências de Navegação do Estado do Pará, que marcou 70 anos de existência, é o mais antigo do setor aquaviário no Estado do Pará, hoje em fase de muito dinamismo, graças ao trabalho da atual Diretoria, que tem a frente o jovem amador dr. Breno Dias, que, por sinal, recentemente foi homenageado pela nossa gloriosa Marinha do Brasil com a alta comenda do Mérito Tamandaré.
Aliás, o SINDARPA, durante sua existência, tem sido uma grande muralha em defesa da navegação fluvial, com registro também muito especial a todos os presidentes que já passaram pelo mesmo.

Mensagem muito especial chegou para o colunista

Enviada pelo grande amigo empresário-engenheiro Carlos R. A. Nascimento, chegou para o colunista uma significativa Mensagem de Boas Festas e Feliz Ano Novo, lá do Rio de Janeiro, onde se encontra em visita à familiares que ali residem.
Ele, por sinal, faz parte da nossa SOAMAR-Belém (Sociedade dos Amigos da Marinha), assim como da SOAMEX (Sociedade dos Amigos do Exército), muito estimado por sinal nessas duas importantes entidades, que só as pessoas livres e de bons costumes fazem parte. Valeu.

Quase um ano à frente do 4º Distrito Naval

No próximo dia 3 de março, o vice-almirante Valter Citavicius Filho, está completando um ano que assumiu o Comando do 4º Distrito Naval em nossa capital, substituindo o seu colega de igual patente Newton de Almeida Costa Neto.
Mesmo enfrentando um momento difícil, tendo em vista a pandemia voltada para a Covid-19, seu trabalho vem sendo marcado por uma série de importantes realizações, envolvendo toda a área de Jurisdição desse Distrito Naval, considerado como um dos mais movimentados do Brasil.

MARESIAS

Acredite se quiser, porque quem sabe… informa para quem não sabe: “TEM GENTE AMIGA” na Linha do Vento.

Nosso amigo AE Marcos Olsen, tomou conhecimento na nota e fotos quando da última visita a Belém, ainda Vice.

O amigo Ronald Pinto Carreteiro tem proporcionado bons artigos para a SOBENA, ele que foi presidente da CNA.

Que venham os navios estrangeiros para operar na cabotagem, mas com marítimos brasileiros. Aí tudo bem.

Almirante Alípio Jorge recepcionou no Rio de Janeiro com o almoço os amigos Mecenas e José Ribeiro III.

Mais um ano se passou e o navio “Barcarena” continua encalhado na lama em Miramar, virando sucata…

Áreas próximas ao Terminal Petroquímico de Miramar, cada vez mais assoreadas, dificultando as manobras dos navios.

Grandes comboios fluviais, com possantes barcaças carregadas de grãos, continuam cruzando os Estreitos, sem problemas.

Na década de 70, a frota Mercante Brasileira de Cabotagem e Longo Curso contava com mais de 200 navios convencionais.

De toda história do CIABA, neste ano inicia a menor Turma de Alunos para cursarem a EFOMM. Apenas 50 jovens.

Nos bons tempos dos SNAPP – Autarquia Federal de Navegação, no seu Quadro de Práticos tinha da rota de Recife e de Caiena.

Existiam dois navios mistos que faziam a linha regular Belém/Caiena na Guiana Francesa, denominados “Oiapoque” e “Cassiporé”.

Denominada “ARUANÔ, a Polícia Fluvial conta agora com uma Lancha Blindada de última geração. Muito bom e nota 10.

Essa embarcação conta com uma tripulação especializada, conhecedora da região. Os bordejos agora serão muito mais eficientes.

Com uma Lancha desse tipo, a Polícia Federal acabou de vez com os ataques, que eram constantes, nos navios fundeados na Baía da Guanabara.(AS).

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta

Seu comentário
Seu nome

Solve : *
21 ⁄ 7 =